27
Sáb, Nov

destaques
Typography
  • Smaller Small Medium Big Bigger
  • Default Helvetica Segoe Georgia Times

Eu estribilho, desesmoreço, corto as cartas

o ás respiro, engendro, urdumo, urdimbro

verticiar não convexo porque eu côncavo

e geometrizo sempre que poemo.

Tenho por sina patiar entorno de igrejas

(e beber adegas) porque verticio sempre

que angulo um poema absurdinando-me

Aminuncio-me quando para não me amiudar

daninho-me a poemar o futuro

(que está descendo pelo ralo humano).

Como vais te empedrar me encasulo

nóbrega aranha que sou netamente manuel.

A propósito, manuelo-me quando

a garoa mostra suas coxas aéreas a João Marques.

 

  1. Dias incontáveis uivo (e vivo)

        à sombra do poema, árvore

        de palavras

                            grade de signos

                            e récuas de sentido.

Murilo Gun

 
Advertisement

REVISTAS E JORNAIS