27
Sáb, Nov

destaques
Typography
  • Smaller Small Medium Big Bigger
  • Default Helvetica Segoe Georgia Times

Em algum amanhecer vi a rosa e o pássaro

sobre o asfalto da alma enrodilhados

caracol a olhar a alvorada do mar

vi numa manhã qualquer

pássaro e rosa uma só forma do ar

encarnados como coito humano

imersos um no outro como lábios volúveis

e a rosa da manhã aberta a pássaro

é a forma do futuro

o tempo se fazendo humano

o futuro da forma vi

a rosa e o pássaro por vir

porvir encarnado, vital, alado.

 

 Ao encontro e desencontro

dos corpos com as almas e eles mesmos

à loucura fervorosa do poeta

à rima atenta do futuro na palavra

à rosa do alvorecer

(àquela com que se deleita o pássaro

ao amanhecer do néctar)

à contemplação nostálgica de mim

numa foto perdida num jornal e renhida.

 

À verdade enrodilhada

em sua vasta perversidade

envolta numa matilha de rosa

na manhã semeada de urânio carmim.

 

Murilo Gun

Inscreva-se através do nosso serviço de assinatura de e-mail gratuito para receber notificações quando novas informações estiverem disponíveis.
 

REVISTAS E JORNAIS