25
Sáb, Set

destaques
Typography
  • Smaller Small Medium Big Bigger
  • Default Helvetica Segoe Georgia Times

Pequeno  protozoário  (de  onde  viemos,  da  monera  primitiva,  dixit Darwin) de um só flagelo. Que possuía simultaneamente qualidade de matéria  e  espírito.

  Átomos  da  natureza,  elemento  das  coisas.  As mônadas, na teoria monodológica de Leibnitz, são impenetráveis (muito além dos hímens  comuns)  a  toda ação exterior, guardando similitude com minha teoria poética de que as palavras no poema devem resistir a toda força hermenêutica que a ela se imprima ou sujeite. A todo esforço (vão)  de  decifração  de  críticos  e  leitores  (não mais desavisados) que caem como  lobos sobre o cordeiro de poesia, na pele do poema, para devorar sem piedade ou demora. Devemos (neopoetas) negar-lhes esse triunfo fágico.

Que quanto mais sofrerem e mais suor exegético derramarem, melhor. As  mônadas  poéticas  diferem  dos  átomos  mecânicos  dos  versos tradicionais, assim como Demócrito de Max Planck.

Murilo Gun

Inscreva-se através do nosso serviço de assinatura de e-mail gratuito para receber notificações quando novas informações estiverem disponíveis.
 
Advertisement

REVISTAS E JORNAIS