Júpiter despreza raios

alzava de relâmpagos abandona

rédeas do universo solta

a qualquer ubiquidade fiel renuncia

Não poetizamos jamais o mundo ou as pessoas

gestos, ações ou encantos do corpo

poetizam-se palavras

(não é o homem criador é o verbo)

Quando regressei do meu sétimo poema

(o violino ébrio do verbo agudo ainda)

quando atravessei o labirinto de palavras

(encravado no palácio da página)

Mais Artigos...

Murilo Gun

Advertisement

REVISTAS E JORNAIS