Sylvia Beltrão


Ser poeta é conseguir pegar o sol com as mãos nuas e colocá-lo em um pedaço de papel, ao ponto de cegar os olhos do leitor com seus raios metafóricos, ou abrilhantar de emoção um coração sofrido. É tirar de dentro de si aquilo que grita e ninguém consegue escutar, e este grito passa a se chamar verso.

Leia mais...

Admmauro Gommes

Ninguém nasce poeta. Aos poucos é que o desencanto ou o reencanto da vida apresenta-se sob outra face do entendimento e vai-se compondo o novo mundo do ser que vê os fatos com o olho torto (como diria Manoel de Barros).

Leia mais...


-
Gabriela Raianne/Letras (FAMASUL)

Ser poeta é um fingidor de suas dores, é gritar o que sente através das palavras descritas em versos ou poemas, traduz o que pensa do mundo ou das coisas. Poeta, homem tradutor de belas palavras, que invadem os ouvidos das pessoas que leem de forma silenciosa.

VCA

“A mão designa e assinala

porque o homem é um sinal”.

“É a ambiguidade da linguagem

fonte da poesia”.

Leia mais...


-
Jailton Ferreira/FAMASUL

Difícil a missão de definir o indefinível. Mas, um poeta é um ser que pensa, que reflete, que inventa, que sabe... e mistura tudo com uma maestria que o eleva ao estado da arte. Que cria, que recria, que atinge os mais altos planos do dizível e do indizível. Nesse último caso, o faz com palavras; e isso o que lhe torna POETA.


Albanielly Soares (História/FAMASUL)

Por si só, a palavra poeta já traz uma ideia de algo precioso, de beleza e arte. Nada tão simples, mas também nada tão complexo, pois na verdade a poesia está dentro de cada um, a única diferença está em saber deixar esta criação fluir naturalmente da alma.

Leia mais...

Esse pressuposto frívolo e falho (ou fressuposto) de que o poema necessariamente – e por definição ou natureza – tenha um sentido prévio, dado e depois mecanicamente construído e adornado por palavras, quantificável, anterior, apodítico destino da jóia palavrosa, poesia, sob pena do poema não ter sentido, se este não for óbvio e ulular, como escrínio verbalizado incólume. E dai vem o sem-sentido da poesia, que está-sempre-além- e-aquém de todos os falíveis sentidos, de que se impregnem as coisas comuns (e os homens idem, como Joyce previu), cotidianas, transitórias, etc.

Leia mais...

Vinicius de Moraes

Quantos somos, não sei... Somos um, talvez dois, três, talvez, quatro; cinco, talvez nada
Talvez a multiplicação de cinco em cinco mil e cujos restos encheriam doze terras

Leia mais...

Marcondes Calazans

O poeta é alguém que pensa. A ideia de poesia é ausente quando ele se encontra de lápis na mão e papel sobre a mesa. Ele (o poeta) escreve o que pensa sobre tudo. Na maioria das vezes, sobre dilemas e agruras existenciais. Poesia e poética são a ética do poeta por vezes na absoluta certeza de que sua dialética é a felicidade e a tristeza, é nutrir-se para quem sabe sorrir ou ficar triste.

Leia mais...

O sopro já exilado da criatura, pela gravata que o semelhante lhe aplicara pendurado, balança de nó cego o corpo sem ânimo oscilando, pêndulo crasso, logo desceram o enforcado do patíbulo e sobre o peito de madeira (estrado) da melhor lei do homem, inane, o depuseram, os olhos já mortos, apagados, não tinham ainda perdido o brilho antigo, vital.

Leia mais...

Mais Artigos...

Murilo Gun

Inscreva-se através do nosso serviço de assinatura de e-mail gratuito para receber notificações quando novas informações estiverem disponíveis.
 

REVISTAS E JORNAIS